I FESTIVAL DE DANÇA DO ZIMBA - 26/04/2017 - RIO DE JANEIRO/RJ

DETALHES DO EVENTO

I FESTIVAL DE DANÇA DO ZIMBA - 26/04/2017


MUITO TEMPO, POUCO TEMPO, TEMPO
Com o tempo você percebe que não há uma distância sobre as coisas, com o tempo você percebe que é muito perto a riqueza da pobreza, com o tempo você percebe que sempre há o que ensinar para quem quer aprender, com o tempo você percebe que mais com mais também pode ser menos, com o tempo você entende que não precisa entender de tudo.
Intérpretes: Alyane Vitória - Alessandra Dias - Alana Meirelles - Aline Furtado - Anna Carolina Ferreira - Carolina Santos - Nalanda Amaral - Nathalia Viegas - Magno Reis - Mateus Felipe - Suellen Cristine.
Coreografia Cintia Jocas
6 min 


TUDO NOVO, DE NOVO
Obter um olhar inovador ao que se produz.
Intérpretes: Aline Furtado - Anna Carolina Ferreira - Nathalia Viegas - Nalanda Amaral - Magno Reis - Mateus Felipe - Carolina Santos - Suellen Cristine -
Coreografa Cintia Jocas
4 min


A ESCURIDÃO É A SUA VELA
As vezes o caminho é turvo, o desafio é grande, e a conquista mais distante que a última vez, a luta sempre é diária, sigo em frente, mente forte, sou eu.
3 min
Coreografia e intérprete: Carolina Santos


EU QUERO ACREDITAR
Acreditamos no ser, no nosso espaço, resgataremos uns aos outros, sempre.
Interpretes dancarinos: Alana Meirelles - Anna Carolina Ferreira - Alyane Vitória - Aline Furtado - Carolina Santos - Nalanda Amaral - Nathalia Viegas - Mateus Felipe - Magno Reis - Suellen Cristine
Coreógrafo: Juliane Martins
2 min


EU VEJO
Corpo cheio, ou vazio? Real, lugar que me parece distante, ora eu, ora és tudo, gosto dos caminhos em papéis coloridos, as palavras colorem e me colocam no mundo.
Coreografia e intérprete: Aline Furtado
2 min


INQUIETUDE
A motivação para nascer o trabalho Inquietude, surgiu através de vários incômodos tragos em laboratórios, o ponto primordial do trabalho é o grito no silêncio, os adolescentes se sentem sem voz, sem opinião, entre outros, como vaidade, o interesse do resgate das brincadeiras infantis, é um trabalho novo, e ainda está em estudo, este vídeo foi a estreia do trabalho, ou seja, ainda está em processo.
Interpretes: Alyane Vitória - Alana Meirelles - Anna Carolina Ferreira - Aline Furtado - Alessandra Dias - Nalanda Amaral - Nathalia Viegas - Magno Reis - Mateus Felipe - Marcela Costa - Suellen Cristine - Carolina Santos
Coreografia: Cintia Jocas
8 min


CRIANÇAS DE TEREZIN - GUSTAV MAHLER - SYMPHONY N 5 IN C MINOR: IV
A coreografia apresentada será um recorte do sexto trabalho do Núcleo de Pesquisa Corporal em Dança para Atores, o momento inicial do espetáculo (8min30s). Crianças de Terezín propõe uma ressignificação de linguagem dramática, por meio de composições que misturam o teatro e a dança contemporânea. O que se pretende na investigação proposta pelo espetáculo é, além de tudo, ampliar a utilização da técnica corpo-gestual tão comum aos atores para outras linguagens da arte, como o teatro-dança contemporâneo. A coreografia/cena a ser apresentada observa a experiência do desejo e seu inicial estado inquebrantável. Seu contraponto da libertação da solidão. O sonho e as existências em exílio são as premissas para a construção da dramaturgia física da cena. O espaço cênico volta-se para a dimensão da nudez simbólica da pele através de uma parede de vestes onde o desespero e encontro humano produzem desenhos coreográficos. A narrativa de Crianças de Terezín foi baseada no relato de uma menina sobre a vida em um campo de concentração, “O diário de Helga Weiss”. Qualquer experiência de fracasso afetivo ou separação deverá servir para uma ampliação de consciência ou crescimento pessoal, nos tornando mais sensíveis para aquilo que realmente necessitamos. Jamais poderíamos nos permitir que ditas experiências nos causassem amargura ou rancor, que iram se travestir de exigências impossíveis de serem concretizadas num futuro.

Intérpretes: Alessandra Barbagallo, Arthur Morsh, Farley Mattos, Felipe Pedrini, Júlia Fernandes e Marcelle Bessa
Coreografias: Roberto Lima e Rodrigo Gondim
9 MIN

SHUFFLE
Shuffle, do inglês, "misturas", "embaralhar", nasce através de um trabalho de pesquisa entre as semelhanças e possibilidades coreográficas e musicais que a junção do hip hop e sapateado permite
Interpretes: Alex Braz Bruno Ignácio Carolina Aquino Helena San'tAnna Marcos Paulo Marina Guedes Patricia Maia Pedro Rodrigo Thaiza Fonseca
Coreografias: Marcos Paulo e Helena Sant'Anna
5 min


PEDRA DE PACIÊNCIA
"PEDRA DE PACIÊNCIA" é uma livre adaptação da narrativa de mesmo nome "SYNGUÈ SABOUR", escrita pelo afegão, radicado na França, Atiq Rahimi, em 2008 e vencedora do Prêmio Gouncourt, o mais expressivo da literatura francesa. Trata-se de um drama, em obra completa de 50 minutos, que para o Festival Zimba I foi reduzida à uma versão "pocket"(15' 44") e tem a pretensão de discorrer, através de movimentos e poética, sobre as diferentes formas de dominação à que mulheres do mundo inteiro são submetidas diariamente. Como pano de fundo, traços singulares de culturas orientais, ainda tão distantes da nossa, como conflitos religiosos e políticos, elementos da Dança Sufi (uso do giro para além da técnica, como ritual de elevação espiritual) e dos Haikus (poemas curtíssimos de origem japonesa, que hoje, espalhados por todo o Oriente, frequentemente garantem o anonimato de suas autoras – mulheres proibidas à tal registro escrito). De acordo com a mitologia persa, "SYNGUÈ SABOUR - PEDRA DE PACIÊNCIA" é o nome de uma pedra negra mágica, a qual pode-se contar tudo: segredos, sofrimentos, lamentos e decepções. Um dia, diz a lenda, a pedra irá explodir e deixará livre o seu confidente, levando pelos ares tudo aquilo que lhe havia sido confiado. Ao propor “PEDRA DE PACIÊNCIA” como releitura livre, gestual e poética da narrativa, a "ANFIGURI CIA DE DANÇA" acredita estar avolumando e contribuindo para com a densidade do debate, em prol de que as mulheres ultrapassem o lugar que lhes é reservado em tais organizações sociais e derrubem obstáculos que insistem em contrapor suas liberdades.
Intérpretes: DANI MELO, KARLOS KOSTA, LISSA VENTURINI, RENATA NAKASIMA E VIVIANE CATALDI, LARISSA VENTURINI (STAND IN)
Coreografias: VIVIANE LIMA
20 MIN

As informações aqui relacionadas são de responsabilidade da produção do evento.

Ingressos disponíveis

SETORES
PLATEIA
Confira os detalhes no icone [?]
SELECIONAR

FORMA DE RETIRADA / ENTREGA

Retirada na bilheteria no local do evento - I FESTIVAL DE DANÇA DO ZIMBA - 26/04/2017 - TEATRO MUNICIPAL ZIEMBINSKI

Av. Heitor Beltrão S/N, Tijuca, RIO DE JANEIRO - RJ 20250-010

Documentação necessária para retirada dos ingressos

  • Número do pedido.
  • Documento oficial com foto e cpf do titular da compra.
  • Cartão de crédito utilizado na compra.

Instruções de retirada

Somente o titular da compra pode fazer a retirada dos ingressos, mediante apresentação de documento com foto. Para retirada por terceiros, é necessária apresentação de procuração. Para gerar uma procuração, selecione opção Gerar Procuração nas infomações do seu pedido na seção Meus pedidos do Site.

Como cuidamos da sua segurança

Seguindo orientações das Operadoras de Cartão de Crédito, é indispensável a apresentação do cartão utilizado na compra para a retirada do ingresso para conferência de segurança, uma vez que as transações feitas pelas internet não são autenticadas com senha de usuário.

Central de Atendimento Ticketmais

Caso tenha dúvidas ou encontre alguma dificuldade em sua compra, estamos à sua disposição através dos contatos por telefone ou e-mail disponíveis na seção Fale Conosco de nosso site.

As informações do evento estão sujeitas a alterações pelo Organizador do evento. Acompanhe periodicamente a página para se manter informado sobre possíveis mudanças.

TEATRO MUNICIPAL ZIEMBINSKI

TEL: (21) 3234-2003
AV. HEITOR BELTRÃO, S/N
TIJUCA
RIO DE JANEIRO / RJ
20250-010
em frente ao metrô da estação São Francisco X

FORMA DE PAGAMENTO

  • 12 x
  • 12 x
  • 12 x
  • 12 x
  • 12 x
  • 12 x

Indique